terça-feira, 27 de novembro de 2012

Cifose, Lordose e Escoliose


Nossa coluna vertebral é formada por várias vértebras: 7 cervicais, 12 torácicas, 5 lombares, 5 sacrais e 4 ou 5 coccígeas.


Uma coluna saudável possui quatro curvaturas fisiológicas, no sentido ântero-posterior: a Lordose cervical, a Cifose dorsal, a Lordose lombar e a Cifose sacro-coccígea. A curvatura escoliótica vai sempre ser considerada anormal por ser um desvio em sentido lateral, não fisiológico. 



Quando não existe um alinhamento padrão, dizemos que surgem os desvios chamados Hipercifose (excesso de Cifose), Hiperlordose (excesso de Lordose) e Escoliose.


Hipercifose – É um exagero da curvatura posterior, geralmente encontrada na região torácica da coluna. Também chamada de dorso curvo, a Hipercifose é provocada por vícios posturais, fraqueza muscular, deficiências nutricionais (raquitismo), tuberculose óssea, fraturas e/ou luxações. A curvatura dorsal se acentua em relação ao normal principalmente quando se executa um trabalho que requer a posição curvada para frente durante muito tempo. Na coluna lombar, pode ocorrer uma inversão da curvatura anterior normal, ocasionando uma cifose lombar.

Hiperlordose – É um exagero da curvatura anterior normal para frente, encontrada nas regiões cervical e lombar. Na região torácica, pode ocorrer uma inversão da curvatura posterior normal, chamada lordose dorsal ou torácica. Na postura lordótica, aparece acompanhada por anteriorização pélvica e flexão da articulação do quadril. Entre as causas da Hiperlordose podem estar: vícios de postura, gravidez, obesidade, fraqueza dos músculos abdominais e raquitismo. Ela costuma ser pior nas mulheres que usam salto alto. 


Escoliose – É um desvio patológico lateral da coluna vertebral (para a direita ou para a esquerda). A escoliose se caracteriza por apresentar tanto flexão lateral quanto rotação das vértebras. A coluna pode curvar-se em direção a um lado somente (em forma de C) ou pode ter curvaturas compensatórias (em forma de S). Pode ocorrer devido a assimetrias nas extremidades inferiores, após vícios de postura, proteção dolorosa, problemas neuromusculares, por malformação congênita ou adquirida. A escoliose congênita ou estrutural envolve uma rotação fixa das vértebras, o que a torna irreversível na maioria dos casos. A escoliose adquirida ou funcional é a mais freqüente, pode ser secundária a raquitismo, a fatores traumáticos, à tuberculose vertebral. Ela é reversível. Há também alguns casos de escoliose onde não se conhece a causa, estes são chamados idiopáticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário